Pitch pessoal: dicas de como estruturar o seu

A primeira impressão é a que fica”. Com certeza, alguém já falou essa frase para você. Sua mãe, no seu primeiro dia de aula, para que você se comportasse ou seu amigo antes do seu primeiro encontro te alertando para não falar algo sem prensar para seu/sua acompanhante. Por mais clichê que essa expressão possa soar, é preciso lembrar dela quando o assunto é entrevista de emprego. A fundadora da Talkin Café, Teresa Louro, em uma entrevista à Saldo Positivo, explicou:

As empresas estão habituadas a avaliar o perfil das pessoas automaticamente e a identificar tipos. […] Quando começa a falar, [o entrevistado] já deve ter pensado naquilo que vai dizer

Ou seja, planejar uma apresentação pessoal que dure poucos minutos antes de se encontrar com o recrutador é imprescindível. Essa técnica, denominada pitch simula uma conversa de elevador, breve e incisiva, em que o candidato se autopromove, a fim de mostrar ao interlocutor que ele tem o que é necessário para preencher a vaga na empresa.

Ainda, o pitch, além de apresentar de forma sucinta suas qualidades e experiências anteriores, ele demonstra ao empregador que o candidato sabe se comunicar bem. Segundo uma pesquisa feita pelo The New York Times, 89% dos recrutadores consideram fundamental a competência em comunicação para a contratação de um profissional.

Como é possível perceber, ter um pitch pessoal é muito importante. Entretanto, muitas pessoas encontram dificuldade no momento que o estão estruturando. Não sabem como começar, quais experiências abordar nem como finalizar.

Separamos algumas dicas para te ajudar a fazer um pitch impecável:

Pense na estrutura do seu pitch

O pitch não possui uma estrutura padrão, que deve ser seguida de forma rígida. O que o candidato deve se atentar é em construir uma linha lógica, relacionando suas experiências e aprendizados e apresentando resultados. Tudo isso, limitando seu discurso a poucos minutos.

Antes de montar o pitch, a pessoa deve separar um tempo para pensar sobre si. Refletir sobre suas qualidades, seus interesses e seus objetivos para o futuro. Depois, ela dela escrever sobre as experiências que lhe agregaram algo positivo, sobre os projetos de extensão que participou na faculdade e sobre eventos interessantes. Feito isso, fica muito mais fácil de determinar o que não deve faltar na sua apresentação, de ligar os pontos e construir a linha lógica!

Além disso, vale ressaltar que para um pitch ser bem recebido, ele deve conter uma frase de abertura atraente. Já o desfecho deve ser uma chamada ao objetivo.

 

Enquadre seu discurso para cada situação

Não é interessante criar um “pitch geral”, em que o indivíduo relate sobre todas as suas experiências, para ser utilizado em todas as ocasiões. Antes de fazer a apresentação pessoal, a pessoa deve se fazer as seguintes perguntas:

  •  Qual é meu objetivo por trás do pitch?
  •  Quais experiências que eu vivi demonstram que tenho o que é necessário para atingir esse objetivo?

Por exemplo, se um candidato apresenta seu pitch durante o processo seletivo para uma vaga de estágio em uma empresa de Marketing Digital, não faz sentido ele focar o discurso na época em que fez Iniciação Científica na área de Recuperação Resíduos Sólidos. Por mais agregador que tenha sido esse projeto, ele não o fará se destacar.

Dessa forma, é importante selecionar apenas experiências relevantes. Por mais que elas, separadamente, não sejam extraordinárias, juntas elas podem fazer o candidato se sobressair. Não à toa, Vincent Van Gogh uma vez disse: “Grandes coisas são feitas por uma série de pequenas coisas reunidas”.

 

Atente-se à postura

Não são só de palavras e frases de impacto que se constrói um pitch. A postura do orador complementa o discurso. A forma como alguém anda, fala e gesticula demonstra aos interlocutores nervosismo, timidez, preparo e/ou confiança.

Primeiramente, é importante deixar as mãos livres. Nada de segurar um papel com o roteiro do pitch. As pessoas têm a tendência de olhar constantemente para ele, já que ele é sua segurança. Se achar necessário, a dica é anotar na mão algumas palavras-chaves da linha lógica.

As mãos estão livres. E aí? O que fazer com elas? É preciso evitar cruzar os braços ou segurar as mãos. Essa é uma postura de defesa, o que não pega muito bem aos olhos do recrutador. O ideal é manter a postura ereta, com os braços abertos e gesticular adequadamente. Os gestos precisam se concentrar abaixo do queixo e acima de linha da cintura. É nessa área que eles transmitem maior naturalidade.

Uma outra observação importante é sempre falar olhando nos olhos do interlocutor. Essa atitude passa uma sensação de preparo e confiança. Se houver mais de um ouvinte, é fundamental revezar o contato visual.

Dica rápida: Caso você se sinta desconfortável olhando no olho da outra pessoa, olhe para a ponta do nariz dela. Dessa forma, você criará a ilusão de contato visual sem gerar constrangimento. O interlocutor será incapaz de notar a diferença!

 

Pratique seu pitch

Não basta estruturar uma apresentação pessoal incisiva, personalizada e curta e não a praticar. É imprescindível treinar bastante para que ela saia impecável na hora H.

Pedir a opinião sincera de amigos, colegas de trabalho e familiares ajuda a identificar aquela frase que não soou bem ou aquele detalhe que passou despercebido. Repetir inúmeras vezes o pitch na frente do espelho pode fazer a pessoa ganhar mais naturalidade ao falar.

Por fim, uma boa técnica é gravar a apresentação e depois assistir, buscando identificar pontos de melhoria. Além de averiguar se a administração do tempo está apropriada.

 

Em uma pesquisa feita pelo Sunday Times, 1,5 mil pessoas foram entrevistadas com a pergunta: Qual o seu maior medo? Curiosamente, o medo de “Falar em público” (41%) superou o medo de “Morrer” (19%). Dentre os entrevistados que votaram naquele, seus maiores receios foram: “Ter um branco” (80%), “Ser questionado” (70%) e “Falar algo estúpido” (68%).

Todas essas inquietações podem passar na cabeça de alguém prestes a apresentar seu pitch. Mas, se a pessoa seguir essas dicas e se preparar bem, com certeza ele será um sucesso!

Agora que você já sabe estruturar seu pitch, que tal ler algumas dicas de como ter sucesso em uma entrevista de estágio? Leia mais no blog da Mercado em Conexão!

By | 2019-02-08T11:34:34+00:00 fevereiro 7th, 2019|Sem categoria|0 Comments

Leave A Comment